A Brasa Editora é Brasil. Verde e amarela, mas principalmente vermelha, como a brasa do fogo.

 

Nós somos uma editora brasileira e estamos situados em Porto Alegre/RS. Nosso CNPJ é o 22.499.197/0001-98 e nossa razão social é SANDRO GOMES FERREIRA. Chega junto e manda brasa!

 

 

Se você é fã de quadrinhos brasileiros, veio ao lugar certo!

 

 

A gente ama o que faz e acompanhamos de perto o artesanato que é a criação de cada história. Desde a edição e preparação dela, aos desenhos e a impressão. Cada edição é cuidadosamente pensada e concebida. Procuramos fazer edições de luxo, com capa dura (de preferência), pintura trilateral e fitilho marcador de páginas, além do cuidado na escolha do papel, no equilíbrio das cores e no design das nossas edições. Ler nossos quadrinhos sem dúvida pode se tornar um momento de prazer.

 

Nossa missão é contar histórias sobre personagens brasileiros para leitores brasileiros. Do Oiapoque ao Chuí. Da periferia para o centro. Do mar para o sertão. E vice-versa. Somos capitaneados por um dos nomes mais conhecidos do mercado, o editor Lobo, que hoje também está também à frente da MolusComix (moluscomix.com.br) e tem um extenso currículo no segmento.

 

 

O início da Brasa: música brega do Pará e um amor LGBTQIA+

 

 

Para dar o pontapé inicial, nós estreamos com dois romances gráficos. Foram lançados simultaneamente Brega Story e Lovistori, ambos produzidos com o apoio do PROAC Quadrinhos da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

 

BREGA STORY

 

Brega Story é assinado pelo premiado autor Gidalti Jr. O ganhador do Jabuti, com Castanha do Pará, em 2017, agora volta a sua mixagem de linguagens gráficas para o mundo da música e conta uma história ambientada nos bastidores do universo do brega de Belém do Pará. Reproduzindo nos quadrinhos toda a explosão de som, luzes, cores e formas de um dos gêneros musicais mais expressivos do Brasil.

 

A trama segue a trajetória do músico Wanderson Jr. que, embora carregue o título de Rei do Brega, tem que se virar para manter a coroa. Além de lutar para se adaptar às mudanças trazidas pelo tempo, ele tem que negociar com os políticos regionais, com os DJs de aparelhagens e músicos para levar adiante seu grande plano de ser uma grande estrela nacional e, quem sabe, internacional.

 

Para produzir Brega Story, Gidalti dedicou-se a uma intensa pesquisa gráfico-musical, em uma narrativa que explora o contraste entre as manifestações culturais periféricas e o mainstream, entre o erudito e o popular, fazendo com que os personagens vivam a vertigem do sucesso e do fracasso, marcados pelo abandono e precarizados pela vida. O livro tem 320 páginas e é parcialmente colorido em aquarela.

 

LOVISTORI

 

Lovistori conta a improvável história de amor nas ruas de Copacabana entre Sereia, uma travesti, e Paixão, um policial militar. Tudo que eles queriam era comemorar seu aniversário de casamento, mas a vida tinha outros planos. Segundo a artista visual e putafeminista, Priscila Fróes, que, com Monique Prada, assina um dos posfácios, “o realismo impresso neste trabalho parece, para o espectador, algo distante. Talvez uma pessoa cisgênera acredite ser apenas uma obra de ficção. Mas trata-se da realidade, tornada mais próxima da vida por meio da ficção”. A graphic novel Lovistori coloca em pauta o preconceito, a transfobia e a violência sofridas pela população LGBTQIA+ desde sempre. É um soco no estômago do leitor. Esse romance gráfico foi produzido com o apoio do PROAC Quadrinhos, da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo.

 

A trama se passa no dia do aniversário de casamento do casal Sereia e Paixão. O traço do experiente Alcimar Frazão dá vida em tons de preto e branco às 80 páginas da narrativa concebida por Lobo. "Partes dessa história eu ouvi de uma travesti enquanto juntava as informações para escrever Copacabana. O relato me impressionou tanto, que achei que valia um voo solo. Mas o roteiro ficou lá, pegando poeira no meu HD", conta o editor que, em 2009, já havia se aventurado em outra HQ pelas ruas do Rio de Janeiro, Copacabana, escrita por ele e desenhada por Odyr, lançada pela Editora Desiderata.